KABASH - A Jornada para a Casa Interior



Milhares de anos nos separam dos antigos egípcios, mas, ainda assim, temos interesses em comum. Um bom exemplo é a busca daquele povo por mais equilíbrio e bem-estar. Sim, eles praticavam meditação e nós lhe mostramos como. Confira!

 

Controle das emoções, saúde em dia, equilíbrio interno, relaxamento total... Você acha que a busca por esses fatores é uma característica moderna, conseqüência dos tempos atribulados em que vivemos hoje? Pois se engana. Se voltássemos quatro mil anos no tempo e aterrisássemos no Egito Antigo, descobriríamos um povo tão preocupado com a qualidade de vida quanto somos atualmente, possuidor de uma imensa sabedoria holística que lhes garantia o equilíbrio e a capacidade de prosperar a níveis estratosféricos. A boa notícia é que esse poderoso conhecimento ainda hoje pode ser bastante eficiente para quem procura saúde e paz de espírito.

 

O kabash, nome dado à sabedoria mantida pelos altos sacerdotes egípcios (que eram, além de grandes sábios, conselheiros dos faraós), reúne um profundo conhecimento sobre o homem e sua relação com o universo, em todos os planos.

A partir disso, ensina como canalizar nossa força interior para atingir um estado de superação, incinerando a ansiedade, medos, inseguranças e todo tipo de bloqueio emocional que nos impede de viver com plenitude.

Na prática, essa sabedoria é aplicada por meio do dabraká, que consiste na mentalização de combinações de letras que não possuem significado semântico, e sim valor energético.

Quando nos concentramos nelas, somos capazes de ordenar nossa aura, liberar o excesso de cargas negativas que acumulamos e também canalizar energias positivas do universo e da natureza.

 

Além, é claro, de darmos um bom mergulho dentro de nós mesmos, potencializando o autoconhecimento.

O apogeu desse conhecimento aconteceu há cerca de 3500 anos, durante o reinado do faraó Akhenaton (século 14 a.C.), que implantou no Egito o culto monoteísta ao deus do Sol. Para atrair o povo à nova forma de devoção contrária ao sistema politeísta, que vigorava até então, o rei abriu as portas dos templos, e parte do conhecimento dos sacerdotes se popularizou, incluindo noções de nutrição, higiene e, é claro, equilíbrio de energia.

Ao longo dos séculos, no entanto, essa sabedoria, assim como boa parte da cultura egípcia, foi se perdendo, ficando restrita a alguns poucos grupos. Por isso, ainda hoje são raros os especialistas no assunto.

 

O principal deles é o uruguaio Manuel Berniger Litman mais conhecido como mestre Rolland, autor de quatro livros sobre a meditação do Egito e fundador do Instituto Nefru, presente no Uruguai, na Argentina e no Brasil. Com o objetivo de preservar e propagar esse conhecimento, os discípulos de Rolland transmitem os fundamentos do kabash e do dabraká de forma praticamente exclusiva no Brasil, são os únicos capacitados, o que mostra como a prática tornou-se restrita com o tempo.

 

 

 

  • Wix Facebook page
  • Wix Twitter page
  • Wix Google+ page

Endereço

R. Dr. João Batista de Lacerda, 650

Mooca - São Paulo  CEP 03177-010 atendimento@espacoatitude.com

Tel (011) 2604-3503 / 2268-4187